Apesar da obra, o canal extravasor não irá evitar a possibilidade de alagamento na cidade de Navegantes. - Foto: Divulgação.

Para tentar diminuir os efeitos de outra enchente o governo estadual quer transformar Navegantes em um dique e dragar novamente o Rio Itajaí-Açu.

A empresa PROSUL, ré em diversos processos de improbidade administrativa, apresentou para a prefeitura um projeto para a construção de um canal com mais de 100 m de largura e 9 m de profundidade com extensão de 9,5 km, saindo da margem do rio Itajaí-Açu no final do bairro volta grande e desembocando no mar na meia praia, no loteamento terras de navegantes, ao lado da Rua Gervasio de Souza, que praticamente divide Navegantes em 2 partes, pois somente teriam 4 pontes para fazer a transposição de um lado para outro.

Mesmo com essas obras, alagamentos na planície entre Ilhota e Navegantes iriam continuar e também não iriam impedir os alagamentos de mais de meio metro em Navegantes e Itajaí, ou seja, essa obra só vai beneficiar os municípios situados antes de Ilhota.

Os números são grandiosos, mais de um milhão de caminhões trucados serão necessários para remover o material escavado na vala e o volume de escavação da dragagem do rio para deixá-lo com 100 m nos trechos retos e 120 nos trechos curvos o canal é de 3.500.000 m3 que deverão ser depositados nos bota-foras marítimos já utilizados e que são muito prejudiciais aos pescadores da região.

Os prejuízos trazidos por essa obra para Navegantes são possibilidade real de catastrófico alagamento ao redor do novo canal por qualquer falha com a diminuição do valor dos imóveis, maior poluição de nossa praia, redução na faixa de areia, especialmente no Gravatá, mesmo com a construção de molhes, retenção de água praticamente parada no canal seco quando estiverem fechadas as comportas

Nosso município passará a ser conhecido como depósito de entulho e lixo trazido pelo rio dos municípios do alto do rio Itajaí e também por estar situado entre 2 valas (rio Itajaí e canal extravasor).

A secretária da FUMAN é contraria a realização dessa obra e enviou oficio para outras secretarias se manifestarem (governo, urbanismo e segurança).

Comentários