Emílio tenta impedir investigação que poderá resultar na perda do seu gordo salário

Prefeito Emílio Vieira (PSDB), sofre sua terceira investigações por suspeita de irregularidade. - Foto: Divulgação.

O prefeito de Navegantes Emílio Viera (PSDB), entrou com um mandado de segurança para suspender o processo que visa identificar possíveis infração político-administrativa cometida por Emílio na SESAN (Secretaria Saneamento Básico de Navegantes).

A denúncia se baseia no contrato feito com o SEMASA para a compra de água de Itajaí, o Prefeito Emílio retardou a publicação do extrato do contrato por um mês e deixou de publicar o processo de inexigibilidade da licitação e o contrato assinado com o SEMASA.

O contrato assinado com o SEMASA teve fim em julho de 2017, quando completava 60 meses, mas foi prorrogado por mais 12 meses, completando 72 meses, o que é proibido pela lei de Licitações que limitou para até 60 meses.

O mandado de segurança é uma forma desesperada do prefeito de tentar impedir que a denúncia de irregularidade apontada por Evandro Argenton possa dar continuidade. Uma comissão especial de Inquérito (CEI), foi aberta no mês de novembro de 2019, na Câmara Municipal de vereadores de Navegantes, caso seja comprovada a irregularidade o prefeito Emílio Vieira poderá perder o cargo e o gordo salário de aproximadamente R$ 29 mil que recebe mensalmente.

Comentários