A partir de 2020 Itajaí terá escola cívico-militar

Imagem/Divulgação

Nesta terça-feira (03), o ministro da Educação, Abraham Weintraub, afirmou que os municípios de Itajaí, Palhoça, Biguaçu e Chapeco terão as escolas Cívico-militar.

Em Itajaí a escola selecionada foi a Melvin Jones, no primeiro ano ela irá receber do governo federal R$ 1 milhão para ser investido em infraestrutura, laboratórios e suporte à implantação do novo modelo.

Os pais foram comunicados e aprovaram a implantação, no total 430 alunos da cidade serão incluídos na iniciativa. A escola está com as matriculas esgotadas.

Como funciona o modelo

O modelo das escolas cívico-militares abrange áreas didático-pedagógicas, com atividades que pretendem melhorar o processo de ensino-aprendizagem, mas preservando as atribuições exclusivas dos docentes. Todas as atribuições dos profissionais da educação previstas na Lei de Diretrizes e Bases (LDB) serão preservadas.

As escolas contempladas podem contar com militares da reserva das Forças Armadas para trabalhar nas unidades, em uma parceria entre MEC e Ministério da Defesa. A duração mínima do serviço é de dois anos, prorrogável por até 10 anos. Os profissionais vão receber 30% da remuneração que recebiam antes de se aposentar.

Há ainda a opção dos estados destinarem policiais e bombeiros militares da reserva para apoiar na administração das escolas. Nesse caso, o MEC repassa a verba ao governo estadual, que, em contrapartida, investirá na infraestrutura das unidades.

 

 

Comentários